NOVO BLOG!

February 15, 2009

Saudações. Estou mudando de endereço.Escrevo somente neste novo blog, pois sempre quis criar um cenário e sistemas.Portanto, chama-se Galaxium, e é ambientado no futuro.

Confira :    http://www.galaxium.wordpress.com

Obrigado à todos,

Abçs.


Gerador de Nomes

February 2, 2009

Existem muitas softwares e programas peculiares para a criação de nomes elaborados, que por acidente podem escapar na hora da criação de personagem.Portanto, pra quem é esquecido (ou crânio com nomeclaturas), uma Dica de Mestre de Role Play é esta : sempre procurar em programas e geradores de nomes, pois, mesmo se você souber o nome definitivo do personagem, os geradores poderão lhe causar tremenda influência, ajudá-lo na colocação de alguma sílaba do nome do personagem ou até mesmo mudar o nome dele, com um toque mais escandinávio, mais para o latim, sotaque americano.

Muitas coisas mudam.Até bermuda.Mas, esse não é o ponto; o que quero focar, é que não se pode distanciar da influência da nomeclatura no perfil de uma pessoa.Alguém que por muito tempo foi o rei das ruas de Nova Iorque, nunca perdeu alguma luta e é um gênio nas artes marciais (e consequentemente bota medo em qualquer outro cidadão), não pode ter um nome, tipo, Zé Palito.Acho que a forma como se escreve um determinado nome, influência no perfil e características físicas.Algo como Zé da Cocada Preta, Zé da Pauleira, Zé do Porrete, fica algo mais adequado.Lembre-se que, em lugares periféricos, existem muitos nomes desse gêneros; e interpretar algo do tipo, requer nomes adequados.Algum herói de tempos remotos e antigos, lenda inesquecível de tempos imemoriais; algo como Aragorn, Mithrandir, Tuor, Aleph Stormcloud, Sturm Montante Luzente, são nomes mais apropriados para a espécie.Portanto, tenha cuidado ao escolher nomes.Campanhas cuja ambientação é de vikings, requer nomeclaturas diferentes; conforme a cultura daquele povo a propôs.Drakkar, Cywhair, Uthred e outros podem ser facilmente gerados ou fabricados por meio da mente.Tudo é a imaginação; e um pouco de influência.

Aqui estão disponibilizados alguns programas.Isto é apenas divulgação.

Link : Aqui

Abraços,

Até mais.

Ps: As variações são para tanto mestres ou jogadores, e através de Geradores de Nomes, você criará nomes ou poderá se influenciar nos criados; e poderá criar NPCs, Personagens Principais, Monstros, Dragões, etc.Tudo com sua devida influência de sotaque.


Ikariam – O jogo que não se joga

December 25, 2008

Ikariam

2008 by Gameforge. Todos os direitos reservados.

Ao som do mar, uma praia de areias brancas e sol brilhante! Numa pequena ilha em algum do Mediterrâneo emerge uma pequena civilização. Sob a sua liderança começa uma era de riqueza e exploração. Bem-vindo ao Ikariam.


É assim que a jornada pelos mares antigos começa.Você, como Rei de uma ilha local, tem a possibilidade de expandir seu pequeno reinado, que não passa de uma Câmara Municipal nível 1 e um amontoado de pedras, para um grande reino, cujas colônicas alcançam o horizonte, e até mesmo além.

Porque o título “O jogo que não se joga”? – Simples.Você manda construir dois soldados, mas ao invés de Age of Empires ou Age of Mithology (que soldados ou aldeões demoram 2 minutos para serem feitos), no Ikariam, você espera de 10 à 20 minutos para cada construção ser feita, ou unidade (assim como um soldado).À medida que você evolui sua cidade, ela torna-se mais poderosa, e você poderá expandir seu império, e criar colônias.Pode adicionar muralhas à sua ilha, e gerenciar as colônias também.O problema é que quanto mais se evolui, mais um exército ou construção se demora para construir.Pois a imponência vei com o tempo, e o trabalho com o esforço.Ikariam é um Browser Game, o que significa que você jogará apenas através da internet, com o seu cadastro (Login/Senha).Com isso, você têm uma visão oblíqua de tudo o que está sendo feito na sua ilha, e você pode gerenciá-la também.Aqui embaixo, no último parágrafo, está o divulgado o link do website oficial Ikariam, para aqueles curiosos (ou simplesmente que cairam nesta página por algum acaso):

Clique aqui para ser redirecionado ao site do Ikariam.Outras versões do jogo, como inglês, espanhol, polonês, e outras línguas, estão valendo.Porém,  para jogar com estas línguas e estes jogadores, você precisa se cadastrar em outros servidores, com outros jogadores.




De volta da Caverna

December 25, 2008

Atualmente, a Cavernad20 se tornou inóspita e úmida.Em parte, porque eu abandonei o blog por causa dos estudos – que vem em minha mente primordialmente, emoldurado como obrigação.E, também, por causa dos joguinhos viciantes de PC e GameBoy.Ah, e, quase me esquecendo, pela avidez pela leitura e revistas, como Dragon Slayer e Crônicas Dragonlance.

É uma pena que neste meio tempo nada mudou, à não ser que o número de visitantes do blog tenha diminuído.Isso certamente aconteceu, mas, valeu as horas de jogo.Desculpem-me se fui rude, mas agora estamos de volta, e acho que isso é o que importa.Também importa que o dragão da caverna d20 voltou a rugir, e da caverna fogo irá sair.

Mais tarde ou mais cedo, as matérias virão.

Abraços!


Escolhendo membros para o Grupo

November 15, 2008

É indubitável que sem a amizade, o discurso verbal e um grupo de amigos corajosos o RPG não existiria; pois o Role Playing Game é simplesmente uma forma de se divertir, com os amigos, um hobby, algo social e ético.Acho que é fundamental que, para que este entrosamento e o jogo em si seja moldado, deve haver um grupo amigável, onde o mestre tenha intimidade com os jogadores, seja amigo, disfrute de seus pensamentos.Não estou dizendo que seções virtuais ou com pessoas que você nunca viu sejam ruins, mas simplesmente não dariam frutos com tamanha imponência e divertimento quanto seções Live Action, frente à frente.

A primeira coisa à se fazer para arranjar um bom grupo de jogadores, é escolhê-los pela amizade.RPG é um instrumento para criar grupos, amizades, etc.Por isso, jogue com seus amigos!Isso mesmo; se você frequenta uma universidade/escola, tente falar com os amigos da sua classe, e convença-os de jogar.Simplesmente diga que será uma nova experiência.Há muito preconceito e risadas quando as pessoas dizem que esse jogo parece ser ridículo, na imaginação.O negóico é fazer propaganda e convencer, dizer que pode ser só uma amostra.Daí você prepara uma seção espetacular, com miniaturas(ou não), um castelo de papelão(se quiser, para ficar mais empolgante e rústico  🙄 ) e deixa a mesa organizada com os papéis das fichas em cima dela, o lápis também e a caneta também; além de deixar os dados em um canto visível que deixe os seus amigos curiosos.Então é só desenrolar as aventuras, imaginar e interpretar.

Se não tiver amigos, paciência.Tente comunicar-se com familiares; pois eles serão os mais próximos de você.Eu, particularmente, tenho um tio que mestrou D&D por três anos, e eu nem sabia disso  😆 , além dos meus dois primos jogarem comigo.

Talvez você não tenha familiares assim.Pois bem, entre em fóruns e jogue virtualmente!Aqui, no MundoRPG, existem inúmeros Play By Forum, que consiste em jogar através da internet.Você escreve as ações e o diálogo de seus personagens pela internet e joga virtualmente com qualquer pessoa do Brasil!Além do mais é mais uma forma de conhecer pessoas e entrelaçar amizades.

Abraços.

Lawyn.


Conversor de nomes Tolkienianos

November 12, 2008

Saudações!

Quem é que não admira os cenários escandinávios e os personagens camponeses de J.R.R Tolkien, de seus magníficos livros que inspiraram o Dungeons&Dragons e outros RPGs, além de ser o fruto principal do Role Play?

Acho que à essa questão não resta dúvidas que mais de 70 milhões de pessoas gostem do autor, e conseqüentemente dos seus livros.Uma peculiaridade de qualquer RPG é a facilidade ou dificuldade de se criar nomes.Como já discutido no primeiro post da categoria Ferramentas, alguns tem facilidades e alguns dificuldades; porém ambos podem chegar em horas importunas, como em meio à mesa.

Sinceramente, com pouco esforço eu contrei alguns conversores de nomes reais para nomes élficos e nomes hobbitianos, o que indica que você poderá ter nomes à qualquer hora!

Eu, criador do blog, chamo-me Matheus e aqui vai o meu nome élfico:

Angrod Luacuteinwë.

Achei-o lindo.

E lá vai o hobbitiano:

Gorbulas Tighfield of Tookbank.

Os sites que fazem a transformação são, respectivamente:

Acho-os particularmente relevantes e que possam ajudar algum mestre ou jogador destas terras de profunda desolação.

Abraços.


Dragon Slayer #14

November 12, 2008

Caros usuários,

Devo admitir que o tráfego de posts e o tempo livre entre os meus afazeres cada vez torna-se mais curto, talvez por causa do fator idade e responsabilidade, que conforme o tempo tornam-se irremediáveis inimigos de um blogger.Acho que essa questão é comum e indiferente para qualquer homem destas terras, qualquer homem mortal.Pois então, apresento-lhes a Dragon Slayer #14, e seus conteúdos.Todos os textos abaixos foram retirados da  Editora Escala.

Adeus, Dragon & Dungeon

No último dia 19 de abril, RPGistas veteranos conheceram o fim de uma era. A editora norte-americana Paizo Publishing anunciou o cancelamento de Dragon Magazine e Dungeon Magazine – as revistas oficiais do jogo Dungeons & Dragons nos Estados Unidos. Ambas continuam sendo publicadas apenas até setembro deste ano, quando chegam às lojas suas edições finais, Dragon 359 e Dungeon 150.

Em nota oficial, a Wizards of the Coast anuncia que o tipo de conteúdo oferecido pelas revistas é procurado, hoje, na Internet. “Mudando para um modelo on-line, estaremos usando um sistema de entrega que amplia nosso alcance dos fãs ao redor do mundo.” Ainda não está claro o que isso significa. Especula-se algo sobre a produção de material virtual apenas para assinantes
– ou seja, revistas eletrônicas.

A maior parte dos RPGistas brasileiros talvez nunca tenha ouvido falar destas revistas tão antigas. Enquanto a Dragon trazia material de campanha variado e dicas de jogo, a Dungeon oferecia apenas aventuras prontas. São as revistas especializadas em RPG mais bem-sucedidas do mundo, com vendas acima de 80% (não, profetas do apocalipse, nenhuma “crise” passou por ali). Verdadeira façanha épica. Sua mudança para uma versão virtual é, para muitos de nós, difícil de entender.

Dragon e Dungeon influenciaram praticamente todas as revistas sobre RPG no mundo, incluindo a própria Dragão Brasil, que durante mais de dez anos manteve-se como a maior e melhor publicação especializada brasileira. Uma edição nacional oficial da própria Dragon também chegou a ser publicada pela editora Abril Jovem, na década de 90. Seu editor não era ninguém menos que Rogério “Katabrok” Saladino, hoje conhecido como um dos autores de Tormenta e, atualmente, editor das revistas em quadrinhos Marvel Comics no Brasil.

O fim da Dragon e Dungeon foi uma surpresa para veteranos como nós, editores da DRAGONSLAYER. Mas o mundo muda, o tempo todo. Temos a escolha de mudar com ele. Ou então podemos ser resmungões rabugentos, sempre reclamando sobre como as coisas eram melhores nos “velhos tempos”…

Conteúdo desta edição
God of War
O deus da guerra e suas manobras destrutivas

Megalodon
Um navio de monstros grande como uma masmorra

Medusas da Chuva
Saiu na chuva é pra se queimar

Laboratório do Dr. Careca
Eis que a careca, agora rabiscada, volta à casa

Clássicos
Dungeon e Dragon, as revistas que levam o nome de nosso jogo

Review
As hordas do abismo e os tiranos dos nove infernos

Gazeta do Reinado
Uma morte, um culto maligno e livros à beça

Chefe de fase
Em terra de beholders que é cego também tem vez

Dragão de Tyr
Se transforme no dragão mais selvagem de D&D

Moreania
Reino das Torres, a terra mais perigosa e amaldiçoada de Moreania

Game Design
Antes de mais nada é melhor introduzir